Diocese
da Campanha

/
/
/
Encontro Diocesano da Pastoral da Comunicação

Encontro Diocesano da Pastoral da Comunicação

foto11Na manhã do último sábado, 23 de julho, estiveram reunidos, no Centro de Pastoral da Paróquia São Sebastião, em Varginha, agentes da Pastoral da Comunicação (PASCOM), de diversas cidades da diocese, com o objetivo estudar alguns documentos da Igreja, formação de equipes diocesana e forâneas além da troca de experiência e estreitamento dos laços entre os comunicadores diocesanos.

O encontro foi iniciado com oração presidida pelo bispo diocesano D. Pedro Cunha Cruz, que meditou o salmo proposto para a Laudas deste sábado. E em seguida, o bispo fez sua colocação, explanando sobre alguns tópicos do decreto conciliar Inter Mirifica  – sobre os meios de comunicação social (disponível em <http://www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_council/documents/vat-ii_decree_19631204_inter-mirifica_po.html > Acesso em 24 jul. 2016).

Primeiramente o bispo declarou que é preciso ter clareza quanto à posição da Igreja em relação aos meios de comunicação. A Igreja não os sataniza, pois sempre esteve inserida e fez usos desses meios nas diferentes épocas do cristianismo.

Dom Pedro, fazendo uma recordação histórica, lembrou os areópagos gregos, grandes praças onde os filósofos e pensadores discutiam e apresentavam suas ideias/teses. Essa figura do areópago ateniense foi resgatada por S. João Paulo II na encíclica Redemptoris Missio – sobre a missão redentora da Igreja (disponível em < http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_07121990_redemptoris-missio.html > Acesso em 24 jul. 2016).

“Nesses pátios é que se trabalhava a centralidade de algumas ideias. Tanto é verdade que o próprio Paulo vai ao areópago fazer um discurso. Era um lugar aberto para as pessoas apresentarem as ideias e criarem, portanto, diálogos. Isso acontecia na Grécia! Mas não havia a ideia de sair da polis, da cidade. A ideia nascia, era discutida e, de certa maneira, revalidada dentro da cidade. A cidade tinha o poder de criar, de produzir ideias e de confirma-las. Era uma ideia institucionalizada. Dar um caráter racional e científico a algumas ideias que eram discutidas. Isso a cultura grega fomentou!”.

Conforme São João Paulo II, os areópagos da contemporaneidade são os meios de comunicação, que se tornaram o local, ainda que virtual, de discussão e apresentação de ideias.

Hoje, esses meios, conforme o decreto conciliar, produzem benefícios e malefícios. Há de se ponderar, sobretudo os benefícios. Dom Pedro ressaltou a importância dos programas católicos comandados por padres como o Pe. Marcelo e o pe. Reginaldo. Ambos conseguem atingir um universo muito grande de pessoas, principalmente aqueles que não têm a prática sacramental do catolicismo. Programas como esses promovem uma humanização e uma popularização da mensagem católica. Mas quando quando não são bem utilizados, podem fazer um grande estrago.

Sobre as obrigações dos meios, principalmente quando utilizados a favor da igreja, o bispo lembrou que o comunicador católico tem o dever de pregar e fazer corretamente o uso dos mesmos. E relatou sua experiência pessoal.

“Todos os dias rezávamos [minha família] a Ave Maria às 18h em torno daquele rádio. Era uma coisa impressionante! E depois do Jornal Nacional [20h30min] rezávamos o terço ou líamos o evangelho do dia. Meu pai gostava porque nunca chegava a tempo de participar da missa. Às vezes ia, às vezes não tinha tempo de ir.”

Dom Pedro demonstrou especial preocupação com a utilização da internet por adolescentes e jovens. Preocupação esta exposta pelo papa Francisco na exortação pós sinodal Amoris lætitia – sobre o amor na família (disponível em < http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20160319_amoris-laetitia.html > Acesso em 25 jul. 2016). O bispo lembrou que é fundamental que os pais controlarem o uso da internet de seus filhos, principalmente com relação ao horário de utilização. E deu um testemunho pessoal:

“Minha irmã colocou a central [o roteador] no quarto [dela]. Quando completa 23h, ela desliga. Assim ele [o sobrinho] não pode acessar a internet, não tem mais wi fi. Ele fica pau da vida: ‘Mas mãe, eu estava lá conversando, não sei o quê e tal…’. ‘Não tem discussão. Você tem três opções: ou vai rezar, ou vai estudar, ou vai dormir’.”

A segunda parte do encontro foi dirigida pelo Pe. Marcos Antônio Menezes de Thomaz, assessor diocesano da PASCOM e pároco da paróquia Nossa Sra. da Saúde de Lambari. A Pastoral da Comunicação atua como eixo transversal de todas as pastorais. É importante ressaltar, conforme lembrou o assessor, que a ação da pastoral não deve se reduzir aos meios; a PASCOM tem o ideal de funcionar como meio de articulação entre os diversos segmentos de uma paróquia/comunidade, atuando principalmente na chamada Pastoral de Conjunto.

Pe. Marcos Antônio relatou aos comunicadores presentes que a estruturação de uma equipe de diocesana e equipes forâneas de PACOM é prioridade para D. Pedro, que está dando total apoio a todas as propostas que são apresentadas nesta área.

O próximo passo para articulação de uma equipe diocesana será a realização de encontros nas foranias da diocese, provavelmente ainda no segundo semestre deste ano. Os presentes se comprometeram a formar uma rede de comunicadores trocando ideias através de grupo de discussão no whats app. O encontro encerrou-se, às 13h, com oração e bênção sacerdotal .

 

Texto e fotos: PASCOM/Campanha

Fotos por – Adriano de Oliveira Membro da Pascom da Paróquia Nossa Senhora das Dores

 

 

 

Author picture

Compartilhar:

Categorias:

Diocese

Formações

Leia Também

Nos dias 12 a 14 de julho, aconteceu em Aparecida/SP, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, o 8º
Inúmeras vezes o magistério da Igreja reitera a importância da oração na família e recorda como os primeiros ensinamentos