Diocese
da Campanha

/
/
DOM PEDRO CUNHA CRUZ PRESIDE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA COM ADMINISTRAÇÃO DO SACRAMENTO DA CRISMA NA CATEDRAL DE CAMPANHA

DOM PEDRO CUNHA CRUZ PRESIDE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA COM ADMINISTRAÇÃO DO SACRAMENTO DA CRISMA NA CATEDRAL DE CAMPANHA

capa“VOCÊ NÃO SAIRÃO DAQUI OS MESMOS: VOCÊS SAIRÃO DESTA CELEBRAÇÃO MARCADOS COM O SELO DO ESPÍRITO SANTO”

No último sábado, dia 17 de maio, D. Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano presidiu duas celebrações eucarísticas na Catedral Santo Antônio, onde foram administrados o sacramento da Crisma a 78 jovens da paróquia. Esses jovens pertencem às comunidades Catedral, São Sebastião, São Cristóvão, Santa Cruz (Campo Grande) e São Francisco). As missas foram realizadas às 10h e 16h e foram utilizadas duas liturgias: na missa matutina foram utilizadas o conjunto de leituras do sábado da VI semana da Páscoa e na missa vespertina, véspera de domingo, a liturgia foi da Ascensão do Senhor.

A catequese em tempos de pandemia

Os 78 adolescentes e jovens que foram crismados no dia 15 já estavam se preparando conforme as diretrizes diocesanas. Era um grupo que iria ser crismado no ano passado. O coordenador da catequese paroquial, Carlos Henrique de Melo Ramos, explica que faltavam apenas alguns encontros para que a formação fosse completa. No tempo da pandemia, os encontros catequéticos presenciais foram suspensos. Carlos Henrique diz que os adolescentes e jovens foram instruídos a utilizarem o subsídio Dia do Senhor em família, para que não perdessem o elo com a catequese e com a Igreja.

O coordenador explica que, com a volta gradativa das atividades paroquiais e sempre atendendo os requisitos de segurança sanitária, 5 encontros foram realizados neste ano para a conclusão do tempo de preparação. Também foi feito um retiro com a participação dos jovens. Durante o retiro foi realizada a Renovação das Promessas Batismais (parte do rito sacramental) na presença do diácono Marcus Vinícius Tertuliano Ribeiro.

As adaptações do ritual

O período da pandemia exigiu que o Ritual próprio da Crisma fosse adaptado. Não pode haver o toque que habitualmente é presente em dois momentos: na unção e no ósculo/abraço da paz. As palavras: “Recebe o Espírito Santo, dom de Deus” e “A paz esteja contigo!” é dita pelo bispo apenas uma vez, de maneira geral. E os crismandos respondem, respectivamente: “Amém” e “Contigo também!”. A unção com o santo crisma feita com algodão embebido no óleo, um algodão por crismando para atender as medidas sanitárias.

A Homilia

Em ambas as celebrações, dom Pedro iniciou esclarecendo aos jovens que o primeiro sinal sacramental da confirmação é a apresentação dos crismandos feita pelo pároco. O bispo é o primeiro catequeta de sua igreja particular. Os padres fazem a apresentação, em comunhão e na presença do bispo, demonstrando o crescimento espiritual e que os adolescentes e jovens estão aptos à recepção do dom do Dom do Espírito Santo.

Para as celebrações, Dom Pedro preparou duas homilias, pois as liturgias foram diferentes. Na missa matutina, do sábado da VI semana da páscoa, o bispo iniciou explicando o sentido litúrgico da leitura dos Atos dos Apóstolos, “livro tipicamente pascal pois narra o crescimento da igreja depois da experiência dos apóstolos com o Cristo ressuscitado.” O bispo chama a atenção para o crescimento da comunidade dos cristãos vindos das culturas de Jerusalém, e outra igreja mais voltada para o mundo pagão (igreja antioquena), confirmando, com isso, a universalidade da salvação. “Em certo sentido vocês já antecipam na vida a recepção desse dom do Espírito Santo. O que vão experimentar hoje já é o Pentecostes pela imposição das mãos que o bispo vai fazer, juntamente com o Cônego Bruno: a oração de imposição das mãos quando nós vamos invocar a descida do Espírito; e também pela unção crismal. São esses dois os sinais fortes do Sacramento da Confirmação”.

O tempo pascal é um tempo propício para a recepção do sacramento da confirmação pois há uma série de imagens que nos preparam: a imagem do bom pastor, a imagem da videira, a imagem do amor, afirma Dom Pedro.

“Passamos para o evangelho de João. Hoje Jesus está fazendo aquele discurso de ‘despedida’ preparando-nos para solenidade litúrgica de amanhã, que é ascensão. Ele parte para o Pai porque Ele veio do Pai; Ele volta para o Pai não para deixar-nos abandonados ou mesmo desprezar a natureza humana que Ele abraçou mas para nos resgatar através dessa natureza; mas exatamente para preparar-nos o lugar e mostrar qual é o destino último da nossa existência da nossa vida, da nossa alma, do nosso ser cristão; então Ele vai para o Pai para preparar esse lugar. […] Jesus confirma sua messianidade: ‘Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parte do mundo e vou para o Pai’. Temos aí também a promessa do Espírito Santo. Jesus vai nos deixar órfãs? Não! Ele terá uma nova maneira de estar presente entre nós: por meio do seu amor sendo derramado, como iremos cantar no dia de Pentecostes: ‘o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo seu pelo seu Espírito que habita em nós! Aleluia!’”

Na missa vespertina, como já se celebram as vésperas da Ascensão do Senhor, foi utilizada a liturgia do domingo. Esta homilia você pode conferir na íntegra acessando o canal “Catedral da Campanha” no Spotfy pelo link: https://open.spotify.com/episode/2bXUpY78KzwMB6d4FBWfbP?si=90I0hhN9RxSQmUla0ehEew . (esta homilia também está disponível no Youtube. O endereço das mídias eletrônicas da Paróquia de Campanha é o @catedraldacampanha – Facebook, Instagran, Spotify e Youtube)

Segurança Sanitária

Para garantir a segurança sanitária necessária e exigida para este tempo pandêmico, os jovens foram divididos em duas turmas de 39. E a celebração não foi aberta à comunidade. Cada crismando pôde levar o seu padrinho e um familiar e/ou convidado.

Jubileu

De março deste ano até março do ano que vem, a Paróquia Santo Antônio está celebrando o jubileu de término da construção da Catedral. Para a ocasião, a Penitenciaria Apostólica, atendendo ao pedido de D. Pedro, concede indulgência a quem visitar o templo, atendendo às condições: ter confessado, comungado e rezado nas intenções do papa.

Oração Jubilar em preparação para a celebração dos 200 anos do término da construção da Catedral da Campanha.

Ó Deus, nós Vos agradecemos pela Vossa presença no mundo e porque através de sinais concretos fazei-nos contemplar o Vosso amor, bendizemos pelos templos, sinais visíveis de que desejais habitar entre nós e, de modo especial, vos louvamos pela nossa Catedral de Santo Antônio da Campanha, Igreja Mãe de nossa Diocese de onde nos preside o Bispo Diocesano e onde, à sombra de seu cajado, experimentamos o pastoreio do Cristo, Bom Pastor. Dai-nos assumir, na comemoração destes duzentos anos do término de sua construção, o protagonismo de ser no mundo pedras vivas que compõem o edifício espiritual de Cristo, vivendo como discípulos missionários, nesta porção do vosso rebanho, que vai dos contrafortes da Mantiqueira até o Lago de Furnas, sob o olhar bondoso da Senhora do Carmo. Amém.

Flávio Maia Custódio

Author picture

Compartilhar:

Categorias:

Diocese

Formações

Leia Também

https://www.facebook.com/share/p/HjPuaeUp3LorxymX/  
Inúmeras vezes o magistério da Igreja reitera a importância da oração na família e recorda como os primeiros ensinamentos