Diocese
da Campanha

/
/
Peregrinação da Forania Nossa Senhora das Fontes

Peregrinação da Forania Nossa Senhora das Fontes

DSC02936O domingo, dia 6 de novembro foi marcado por um momento de demonstração de fé dos fieis da forania Nossa Senhora das Fontes, região central da diocese. Em peregrinação, cerca de 800 pessoas se dirigiram à sé diocesana para passarem pela Porta Santa do Ano da Misericórdia. A forania Nossa Senhora das Fontes engloba 11 paróquias, das cidades d­­­e Careaçu, Cambuquira, Monsenhor Paulo, Natércia, Heliodora, São Gonçalo do Sapucaí, Lambari, Olímpio Noronha, Jesuânia, Cordislândia e Campanha.

Alguns vieram a pé, outros a cavalo, caravanas organizadas de diversas paróquias, muitas famílias em carros particulares. De diferentes maneiras o povo não mediu esforços para fazer esse gesto concreto no Ano Santo da Misericórdia.

Fazer a peregrinação para alguma igreja que tenha Porta Santa, é uma proposta do próprio Papa Francisco, na bula Misericordiae Vultus: “A peregrinação é um sinal peculiar no Ano Santo, enquanto ícone do caminho que cada pessoa realiza na sua existência. A vida é uma peregrinação e o ser humano é viator, um peregrino que percorre uma estrada até à meta anelada. Também para chegar à Porta Santa, tanto em Roma como em cada um dos outros lugares, cada pessoa deverá fazer, segundo as próprias forças, uma peregrinação. Esta será sinal de que a própria misericórdia é uma meta a alcançar que exige empenho e sacrifício. Por isso, a peregrinação há-de servir de estímulo à conversão: ao atravessar a Porta Santa, deixar-nos-emos abraçar pela misericórdia de Deus e comprometer-nos-emos a ser misericordiosos com os outros como o Pai o é conosco.”

A peregrinação faz reviver a experiência da história da salvação: a história de Abraão peregrino de Ur dos Caldeus para a terra que Deus lhe teria mostrado (Gen. 12,1); a peregrinação de Israel rumo à Terra Prometida; a peregrinação de Jesus rumo a Jerusalém. E a vida cristã é uma peregrinação até Deus.

Foi organizado um horário especial de missa para os peregrinos, às 15h. A celebração foi presidida pelo pároco da paróquia de São Gonçalo, Pe. Silvane Vitor Elias e concelebrada pelos padres Carlos Henrique Macho de Paiva (reitor do seminário filosófico e administrador paroquial em Cordislândia), Josimar Cândido Lourenço (vigário de São Gonçalo), Bruno Leonardo Braga (administrador paroquial em Olímpio Noronha e Jesuânia) e Antônio Carlos de Oliveira (pároco em Heliodora)

Antes da celebração, os diversos grupos reuniram-se no adro da Catedral. Pe. Carlos Henrique conduziu uma breve reflexão sobre o significado da peregrinação e do gesto de passar pela Porta Santa. À medida que os fiéis foram adentrando pela igreja, o padre conduziu diversas orações, intercaladas com momentos de silêncio para que cada um pudesse ter o seu momento de encontro com o Cristo Misericordioso.

Durante a missa, a homilia foi proferida pelo Pe. Bruno Leonardo, que destacou a importância do Ano Santo da Misericórdia. “As várias paróquias da nossa forania saíram em busca de uma outra coisa: a experiência, o abraço do Pai Misericordioso, que está aberta na entrada da nossa Catedral Diocesana. Por onde nos chega a misericórdia de Deus, senão por aquela fonte abundante que jorrou do lado aberto do Senhor quando foi crucificado na humilhação, se manifestou a glória do Senhor. Sim, ali no momento da cruz, aquela hora que Jesus em Caná tinha dito não haver chegado, então ela se cumpre plenamente. E aí compreendemos que a onipotência de Deus, o poder do criador, se transforma  quando Ele mostra a sua misericórdia, não punindo, não condenando, julgando de maneira vingativa aqueles que lhe voltaram as costas, mas dando a sua vida por eles. De fato o castigo de Deus não levaria homem de Deus à salvação, seria a sentença da condenação.  Mas oferta amorosa do Senhor , a oferta da própria vida, o amor da cruz, atraiu os homens ao coração inflamação de Cristo e assim despertou a conversão.”

E continuou falando da solenidade de Todos os Santos, celebrada neste domingo: “Hoje nós celebramos  Todos os Santos. Não desviando o nosso olhar do mistério central, que é a Páscoa do Senhor, mas entendendo  exatamente que a santidade é mais um fruto sublime da entrega de Cristo por nós. E ela só é possível porque Cristo, Deus, manifestou a sua misericórdia, pois morrendo e ressuscitando por nós o Cristo nos deu o espírito santificador que agindo na vida do povo cristão, leva os homens do estado da perdição ao estado da bem-aventurança pela gratuidade do amor de Deus. Portanto, celebrar a solenidade de todos os Santos, é contemplar a fecundidade do mistério pascal do Senhor dentro da vida da Igreja. Sim, o Senhor fecundou a sua Igreja com o dom pascal do Espírito. E assim a Igreja gera para o mundo, para os séculos, homens e mulheres impregnados do espírito de Cristo, portanto santos pela graça de Deus.”

E concluiu: “A celebração de todos os santos é não o desvio da atenção do mistério de Cristo, único mediador entre Deus e os homens. Mas é uma forma de aproximarmos ainda mais do Senhor que nos leva para a comunhão com o Pai. Neste ano santo, poderíamos dizer que a celebração da festa de Todos os Santos é a celebração do triunfo da misericórdia de Deus, que venceu a limitação, que venceu o pecado, que venceu a fragilidade de tantos homens e mulheres e os conduziu por pura graça à perfeição. Neste dia de Todos os Santos, valha-nos a intercessão desses nossos irmãos na fé, valha-nos o seu exemplo que nos inspira no segmento do Senhor. E, prosseguindo o nosso caminho de santificação, abertos à ação santificadora do Espírito de Deus, sejamos um dia reunidos aos santos, no alegre e festivo banquete que o Pai prepara para nós em sua casa e do qual participaremos ao celebrarmos esta eucaristia.”

O Conselho Pastoral de Campanha se preparou para acolher bem os fiéis que estariam presentes no dia 6. Em contanto com a PM e a Prefeitura, foram feitas alterações no trânsito para facilitar a parada dos ônibus. Os padres da paróquia ficaram à disposição para atendimento das confissões antes da missa. E, após a celebração, foi servido um lanche às diversas caravanas presentes.

Peregrinações para a Porta Santa da Catedral

Durante este Ano Santo vários fiéis de diversas localidades se dirigiram para a Catedral e tiveram a possiblidade de passar pela Porta Santa da Sé Diocesana. A paróquia de São Sebastião em Cambuquira, no mês de junho organizou uma grande peregrinação com o povo, vindo a pé da cidade vizinha para Campanha (cerca de 15 km). Foram cerca de 300 pessoas. Também o Apostolado da Oração de São Gonçalo do Sapucaí esteve presente na Catedral. E, mais recentemente, no dia 23 de outubro, a paróquia N. Sra. da Conceição, de Careaçu, fez sua peregrinação para a Porta Santa de Campanha, participando da missa das 19h.

 

Fonte: PASCOM/Campanha

 

 

Author picture

Compartilhar:

Categorias:

Diocese

Formações

Leia Também

https://www.facebook.com/share/p/HjPuaeUp3LorxymX/  
Inúmeras vezes o magistério da Igreja reitera a importância da oração na família e recorda como os primeiros ensinamentos