Diocese
da Campanha

/
/
/
DOM PEDRO INSTITUI 16 ALUNOS DA ESCOLA DIACONAL SÃO LOURENÇO MÁRTIR NO MINISTÉRIO DO ACOLITADO

DOM PEDRO INSTITUI 16 ALUNOS DA ESCOLA DIACONAL SÃO LOURENÇO MÁRTIR NO MINISTÉRIO DO ACOLITADO

capaOs alunos da Escola Diaconal São Lourenço Mártir Alcelino José dos Santos (Três Corações), Alessandro Júnior de Carvalho (Três Pontas), Antônio Tadeu Matos (Lambari), Celso Ítalo Martins (Campos Gerais), Donizetti Alves Aguiar (Três Pontas), Eduardo Luiz Magalhães Brochado (Baependi), Ernani Ferreira Prado (São Gonçalo do Sapucaí), Geraldo Donizetti de Oliveira (Três Pontas), Gilmar Cardoso Macário (Varginha), José Marcelo Azarias (Varginha), Laécio Ananias Gomes (Varginha), Márcio Rafael Gonçalves (Campanha), Marcos Giovani Vilas Boas (São José do Alegre), Messias Pereira (Varginha), Sérgio Augusto Cunha (Campanha) e Vitor Donizeti Cândido (Varginha) foram instituídos no Ministério do Acolitado por Sua Excelência Reverendíssima, o Senhor Bispo Diocesano da Campanha, Dom Pedro Cunha Cruz. O rito de instituição foi realizado no dia 06 de dezembro de 2020, dentro da Celebração Eucarística do Segundo Domingo do Advento, às 10 h, na Catedral de Santo Antônio, em Campanha-MG.

Os candidatos vieram acompanhados de suas esposas e, em respeito ao protocolo sanitário relativo à COVID 19, não foram estendidos outros convites.

A Santa Missa, presidida por Dom Pedro Cunha Cruz, foi concelebrada pelo Padre Alex José Adão, Diretor da Escola Diaconal; Padre Heitor Aparecido Rafael (SCJ), pároco da Paróquia do Divino Espírito Santo de Varginha e o Cônego Bruno César Dias Graciano, pároco da Paróquia Santo Antônio, em Campanha. Serviram como Diáconos o Sr. Marcus Vinícius Tertuliano Ribeiro, Diácono transitório, e o Sr. Nardeli Martins, Diácono permanente e tesoureiro da Escola Diaconal, que proclamou o Santo Evangelho. A chamada dos candidatos foi feita pelo Padre Alex, Diretor da Escola e cada um manifestou respondendo “presente!”. Dom Pedro fez a homilia, exortando os candidatos a zelarem pelo ministério que lhes é confiado pela Santa Igreja, em especial, dedicando-se aos enfermos por ocasião da visita domiciliar para distribuir a Sagrada Comunhão. Em seguida, o Sr. Bispo procedeu à instituição do Acolitado, conforme preceitua o Pontifical Romano.

A instituição no ministério do Acolitado é o segundo passo dado pelos que se prepararam para receber as Ordens Sacras. No primeiro deles, o Leitorado, o instituído é chamado a servir à Mesa da Palavra, proclamando as Leituras na Santa Missa e demais liturgias da Igreja, ao passo que no Acolitado, o candidato às Ordens Sacras é chamado a servir à Mesa do Altar do Senhor, auxiliando os presbíteros e diáconos em suas funções, com destaque para a distribuição da Sagrada Comunhão, na qualidade de ministro extraordinário. Segundo a Instrução Geral do Missal Romano (nn. 187-193), o Acólito instituído tem funções próprias que deve exercer no serviço do altar. Na falta do diácono, o Acólito prepara a mesa do Altar, no momento da apresentação das oferendas, apresentando ao Presidente da celebração a patena com o pão para ser consagrado. Compete também ao Acólito instituído acompanhar o Presidente na incensação do Altar, incensando-o, na sequência, bem como à assembleia. Além de distribuir a Sagrada Comunhão, o Acólito purifica os vasos sagrados. Ainda no exercício extraordinário do ministério da Sagrada Comunhão, é especialmente confiada ao Acólito instituído a visitação aos idosos e enfermos.

Alessandro Júnior de Carvalho

Geraldo Donizetti de Oliveira

 

Author picture

Compartilhar:

Categorias:

Diocese

Formações

Leia Também

Nos dias 12 a 14 de julho, aconteceu em Aparecida/SP, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, o 8º
Inúmeras vezes o magistério da Igreja reitera a importância da oração na família e recorda como os primeiros ensinamentos